Conheça Gelci Rosa, o nosso grande chef no Clube Veleiros do Sul

Da rotina corrida no restaurante ao desejo de descansar quando se aposentar, Gelci falou um pouco do seu trabalho e da ótima relação com os clientes

 

                Se fizéssemos uma lista com algumas de nossas características, uma delas seria a longevidade. Não a nossa, como restaurante, mas da nossa equipe de funcionários em atividade. Gelci Gomes Rosa, de 49 anos, é mais um dos exemplos de que gostamos de preservar não somente um profissional qualificado e que faça a máquina funcionar, mas também um amigo e companheiro de trabalho.

                “Eu trabalho com a família há 17 anos. Fiquei dois meses no Menino Deus, até abrir no Veleiros. Aqui estou há 7 anos já”, afirma Gelci. Morador de Porto Alegre, sua trajetória no ramo iniciou como auxiliar de açougueiro, em seguida passando a açougueiro. Em restaurantes, teve oito anos de experiência antes de ingressar na equipe do Barcelos Gastronomia. Começou também como auxiliar e em seguida chegou a cozinheiro. Hoje é cozinheiro chef e comanda a cozinha do Clube Veleiros do Sul.

                Para ele, o trabalho de gerenciar a cozinha de um restaurante não é nada fácil, mas prazeroso. “O estresse faz parte, como qualquer trabalho. É que gira tudo em torno de ti, né? É pedido, é filé aqui e ali, é comandar, é o buffet que tu tem que liberar, envolve tudo”, afirma. A melhor parte é o retorno dos clientes. Receber um número muito maior de elogios do que de críticas é a prova de que o seu trabalho e de sua equipe é executado com maestria. “Mais elogio do que crítica, sem dúvida. Porque aqui nós temos uma clientela fixa, né? Então, tu já sabe o gosto do cliente, por isso geralmente é mais elogio”.

                Uma clientela fixa facilita muito os pedidos à la carte, por exemplo. O buffet já é programado e precisa ser reposto quando necessário, então são os pedidos à la carte que promovem a correria na cozinha. “Geralmente os garçons já falam: ‘oh, essa comanda é do fulano de tal’. Aí já sei como é o tempero. Eu trabalho com um preparado que eu mesmo faço, né? Então sabendo o gosto do cliente facilita na hora de temperar”.

                Ainda sobre a relação com os clientes, é algo tão próximo e positivo que eles mesmos sugerem pratos para o cardápio à la carte. “Nós temos um prato que sai muito aqui, que é o ‘prato velejador’, que foi um cliente que trouxe. Iscas de filé ao molho madeira, farofa, arroz, batata frita e feijão. É um prato que sai bastante também. Essa interação é muito gratificante”, explica Gelci.

                A rotina é corrida, das 8h da manhã até por volta das 16h da tarde, e mescla serviços de buffet com pedidos à la carte. A intensidade do trabalho é ainda maior quando o restaurante recebe eventos. “O cardápio já é acertado com o cliente antes. Daí eu largo o buffet e já vou adiantando a comida do evento, que geralmente começa às 21h. Então, depois das quatro (da tarde) o cara deslancha no evento, né?”, afirma.

                Fora do ambiente de trabalho, Gelci diz que não gosta nem de chegar perto de um fogão. “Ultimamente eu desligo totalmente. Com filhos pequenos eu tinha a rotina de sair daqui e fazer comida para eles. Agora que estão adultos e também me casei de novo, deixo tudo nas mãos deles. Senão a mulher reclama que estou levando serviço pra casa”, brinca.

                Sobre o futuro, Gelci diz já ter sonhado em abrir o próprio restaurante. Mas com os filhos já crescidos e encaminhados, o desejo mudou e tornou-se mais simples, porém merecedor. “Agora eu só quero descansar. Tenho uma outra casa no interior. Quero descansar e quem sabe trabalhar de segunda à sexta, só com os eventos, depois que me aposentasse. Porque a rotina aqui é bem puxada, sabe? Mas é muito gratificante, sem dúvida”.

3 Comentários
  • EDUARDO SCHEIDEGGER JUNIOR
    Posted at 15:50h, 19 setembro Responder

    Parabéns Gelci!!!
    Ótimos pratos no cardápio do Veleiros do Sul e muita simpatia no atendimento!!!

  • Gerald nesweda
    Posted at 23:30h, 19 setembro Responder

    Muito bom saber disso que contou e contaram por ti.
    Estes dias quando estive fora do quadro funcional do clube Vds , me perguntei :” sera6 que o gelci ainda trabalha no clube” daí disse-me que ele estava conosco fazia tempo desde que a Barcelos gastronomia o trouxe para o Vds . Então ele não iria sair assim sem mais nada.
    Então o vi novamente confirmando o que eu tinha pensado quando do festejo de sábado no início da cone Sul orientando o churrasco por la5 no hangar 1.
    Fico contente que ainda permanece conosco.
    Um abraço do Gerald Nesweda.

  • syrley
    Posted at 13:13h, 20 setembro Responder

    Ahh meu amigo Esta chegando seu aniversário e queremos degustar das suas qualidades como chef, estamos só pelo domingo!!!

Publique uma resposta para EDUARDO SCHEIDEGGER JUNIOR Cancelar Resposta